Saturday, 06 de November de 2021 - 18:00h
Governo envia estação de tratamento de água para o Bailique
Equipamento será capaz de captar e tratar água de pontos próximos ao arquipélago que não foram atingidos pela salinização da água.
Por: Camila Ramos
Foto: Camila Ramos
A estação compacta tem capacidade de produzir 10 mil litros de água potável por hora.

Para abastecer o Arquipélago do Bailique de forma mais efetiva com água potável, o Governo do Amapá envia neste sábado, 6, uma balsa equipada com uma Estação de Tratamento de Água (ETA) compacta para a localidade, que enfrenta a salinização das águas do Rio Amazonas. 

O fenômeno ocorre quando a água do mar invade a água doce, deixando-a imprópria para consumo.

Além de reforçar a filtragem dos 120 mil litros do produto potável enviados da capital, a estrutura tem capacidade de tratar água captada de pontos próximos ao Bailique que ainda não foram atingidos pela salinização.

A ETA está sendo instalada pela Companhia de Água e Esgoto do Amapá (Caesa), e será operada com o apoio da Defesa Civil do Amapá durante o abastecimento das comunidades do arquipélago.

Com capacidade de produzir 10 mil litros de água potável por hora, a estratégia é captar e tratar o líquido por períodos de 12 horas, completando os reservatórios da balsa, e em seguida distribuí-lo às comunidades.

“Esta é uma ação pioneira até mesmo para os técnicos da Companhia, pois nunca operamos uma estação móvel fluvial, porém, situações emergenciais como a que o Bailique enfrenta, requerem medidas extraordinárias, e o Governo do Amapá não medirá esforços para dar todo o apoio necessário para as mais de 2,4 mil famílias da região”, explicou o diretor presidente da Caesa, Valdinei Amanajás.

Para reforçar a capacidade de reserva da água a médio e longo prazo, o governo já providencia a aquisição de 2,2 mil caixas d’água de dois mil litros para que cada família possa não só receber a água enviada da capital, como também para a reserva de água futuramente, ao fim do período de estiagem, quando espera-se que o rio avance, e a salinização recue.

De acordo com a Companhia, a região do Bailique tem um alto volume de chuvas, o que viabiliza também a utilização dessas caixas distribuídas para a captação de água da chuva, conforme modelo já em utilização em outras localidades, como o Distrito do Sucuriju, no município de Amapá.

Saúde e Cidadania

Neste sábado, 6, o Governo do Amapá leva ações de saúde e cidadania para as famílias impactadas pelos fenômenos naturais da salinização das águas do Rio Amazonas e das Terras Caídas.

Estarão disponíveis serviços como emissão de primeira e segunda via de identidade, CPF, Cartão do SUS, além de consultas com pediatras e clínicos gerais, psicólogos, nutricionistas, fisioterapeutas e atendimentos com técnicos de saúde bucal. Haverá, ainda, triagem do Mais Visão.

A balsa com os profissionais de saúde também levará 100 mil litros de água para os moradores do Bailique.

Fotos Georreferenciadas

A Defesa Civil e o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) conduzem um trabalho de fotos georreferenciadas das comunidades para levantar informações sobre como as estruturas do arquipélago têm sido afetadas pelos fenômenos da Terras Caídas e da salinização.

As fotos georreferenciadas incluem dados precisos de localização geográfica. Esse levantamento será fundamental para desenvolver novas políticas públicas voltadas para o Bailique, de acordo com as mudanças que a região atravessa.

NEWSLETTER

Receba nossas notícias em seu e-mail ou celular.

CAESA - Companhia de Água e Esgoto do Amapá
Av. Ernestino Borges, 222. Central - Cep: 68900-000, Macapá/AP - (96) 8801-3947 -
Site desenvolvido e hospedado pelo PRODAP - Centro de Gestão da Tecnologia da Informação
2017 - 2021 Licença Creative Commons 3.0 International
Amapá